Hospital Jayme da Fonte

Central telefônica (81) 3416-0000 / 3125-8810 Marcação de Consultas & Exames (81) 3416-0075
(seg. à sex, das 07h às 19h e sáb. das 08h às 14h)
Chegamos aos
1026
transplantes de
fígado
Data publicação: 27/09/21 | Fonte: Diálogo Comunicação

Mais solidariedade em Pernambuco: aumentam os transplantes de coração

Dia Nacional de Doação de Órgãos, em 27 de Setembro, estimula doações

Com a liberação de cirurgias para transplantes de órgãos, este ano, vem se fortalecendo a cultura da doação de órgãos em Pernambuco. No primeiro semestre de 2021, foram realizados 616 transplantes de órgãos e tecidos um aumento de mais de 45% em relação ao ano anterior, com destaque para os procedimentos de coração, com crescimento superior a 100%.

O cirurgião cardiovascular Diogo Ferraz lembra que Pernambuco já é referência do Norte e Nordeste em transplantes de coração e diz que a retomada das cirurgias pode levar o estado a dobrar o atual índice até o final do ano.

“Mas a fila de espera ainda é grande. Por isso, o 27 de setembro, Dia Nacional de Doação de Órgãos, com a Campanha Nacional Setembro Verde é fundamental para ampliamos a divulgação desse assunto”, diz o médico.

Os transplantes garantem a sobrevivência ou qualidade de vida para os pacientes que precisam de um órgão. No caso do coração, diz o especialista, temos situações de extrema urgência, com real risco de vida.

Nos casos de insuficiência cardíaca grave, por exemplo, que tem sobrevida aproximada de 50% em 1 ano. Após o transplante cardíaco essa expectativa aumenta para 50% em 10 anos.

Quem pode? – Todos podem doar, por isso, é importante expressar seu desejo de ser um doador aos familiares, que poderão autorizar em casos em morte encefálica.

Dados – No primeiro semestre de 2021, se acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, houve um aumento de 100% nos transplantes de coração: foram 8 no primeiro semestre de 2020 e 16 no mesmo período de 2021. Já os procedimentos de rim cresceram 64,9% (74 em 2020 e 122 em 2021). Córnea (53,7%), fígado (45,9%) e medula óssea (15,6%) também tiveram o número de procedimentos ampliado.