Hospital Jayme da Fonte

Central telefônica (81) 3416-0000 / 3125-8810 Marcação de Consultas & Exames (81) 3416-0075
(seg. à sex, das 07h às 19h e sáb. das 08h às 14h)
Chegamos aos
1026
transplantes de
fígado
Data publicação: 29/09/21 | Fonte: Diario de Pernambuco | Vida Urbana

Jayme da Fonte é referencia em rizotomia

Por Marina Costa

Dores crônicas nos joelhos e nas costas podem atrapalhar a qualidade de vida, diariamente. Quando elas não diminuem mesmo após sessões de fisioterapia e do uso de medicamentos, o paciente pode buscar indicação para realização da rizotomia, que é um tratamento pontual que tem apresentado resultados significativos em quem o realiza. O hospital Jayme da Fonte, localizado no bairro das Graças, na Zona Norte do Recife, é referência na realização desse tipo de técnica no estado.

O objetivo da rizotomia é interromper a função dos nervos sensitivos da dor de modo definitivo ou temporário, reduzindo ou até anulando o desconforto. É um procedimento minimamente invasivo, realizado em bloco cirúrgico por cerca de 15 minutos. O paciente é submetido a uma sedação, mais leve do que a do exame de endoscopia, e são inseridas agulhas, chamadas cânulas, nas áreas degeneradas da coluna ou do joelho, onde existe o foco da dor. Dentro das cânulas, um fio é ligado a um aparelho de radiofrequência. “É como se chegássemos na tomada e desligássemos o fio da dor quando a máquina é acionada. Não tem corte, não tem sutura e nem ponto, é tudo percutâneo. Cerca de 2 ou 3 horas após o procedimento, o paciente já recebe alta e está bem restabelecido”, explica o neurocirurgião e especialista em coluna, Dr. Cláudio Falcão. O paciente pode voltar às atividades normais após 7 dias da realização do tratamento.

Além da rizotomia realizada por radiofrequência, a técnica também pode ser feita com a injeção de medicamentos específicos para alívio da inflamação, para aplicação nas áreas de degeneração.

Para o neurocirurgião, a intervenção é a melhor opção para o alívio da dor. Porém, existem critérios para a realização do procedimento. “Recomendamos a rizotomia da coluna para pacientes que têm dor há mais de 3 meses, sem melhora com a fisioterapia e com o tratamento medicamentoso. É um paciente que pouco evolui com o tratamento convencional e apresenta exame de imagem com alterações degenerativas na região posterior da coluna, que é responsável pela mobilidade do tronco”. O procedimento também pode ser feito em pessoas que apresentam problemas de desgaste nos joelhos.

Apesar de não ser um tratamento de forma contínua, a rizotomia pode ser realizada mais uma vez. “Se o paciente tiver a necessidade de fazer uma vez ao ano, ele pode, mas na maioria dos casos, o problema é resolvido na primeira sessão”, disse Dr. Cláudio. O neurocirurgião acredita que a frequência de uma vez ao ano é a melhor opção no tratamento das dores crônicas em locais indicados. O procedimento é coberto por todos os planos de saúde, além de ser realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).