Hospital Jayme da Fonte

Central telefônica (81) 3416-0000 / 3125-8810 Marcação de Consultas & Exames (81) 3416-0075
(seg. à sex, das 07h às 19h e sáb. das 08h às 14h)
Chegamos aos
1026
transplantes de
fígado
Data publicação: 29/12/21 | Fonte: Diario de Pernambuco | Vida Urbana

Cuidados com a pele durante o verão devem ser redobrados

Protetor, roupas adequadas, hidratação e atenção aos horários podem fazer a experiência mais quente do ano melhor e segura

Com a chegada do verão e a virada do ano, muitos aproveitaram para curtir o mês de férias nas praias. De acordo com a Agência Pernambucana de Clima e Águas (Apac), a temperatura máxima no estado para a estação mais quente do ano gira em torno de 30° na Região Metropolitana do Recife, no Agreste, na Zona da Mata e no Sertão. Com a temperatura e a sensação térmica elevadas, os cuidados com a exposição ao sol, também necessários diariamente durante as outras estações, precisam ser redobrados.

“Por vivermos em uma região onde o clima é quente e úmido, precisamos ter alguns cuidados com a nossa pele. Na face, é necessário limpar a pele com mais frequência devido à oleosidade em excesso e sujeira acumulada.

O ideal é usar um gel de limpeza, em vez de sabonete normal, na hora de tirar a maquiagem, o protetor solar e a oleosidade. Importante não usar as mãos, mas sim um algodão”, explicou o médico Paulo Guedes, dermatologista do Hospital Jayme da Fonte.

Com o aumento da radiação solar, durante o verão é necessário o uso do protetor solar, que deve ser adaptado para a pele de cada um, com no mínimo Fator de Proteção Solar 30. Para pessoas que possuem a pele oleosa ou mista, o recomendado é um protetor com efeito matte, que ajuda no controle da produção sebácea e a formação de espinhas, além de não deixar a pela com brilho excessivo e sensação de sujeira. Já a pele seca necessita de uma textura cremosa com alto poder de hidratação. A pele sensível, por sua vez, precisa de produtos que ofereçam uma ação calmante e hidratante, que não irritem a pele.

Segundo Guedes, o ideal é evitar a exposição excessiva ao sol entre 10h e 16h, principalmente as crianças, que possuem pele mais sensível, “Recomendo que os pais levem seus filhos para a praia até as 9h. O filtro solar já pode ser utilizado a partir de um ano, mas o recomendado é também utilizar uma roupa de proteção, já que a medida em que crianças se molha, a proteção da loção vai saindo” alertou o dermatologista.

Além do protetor solar e da limpeza frequente, existem outras medidas que podem auxiliar no cuidado da pele no período mais quente do ano, como as roupas utilizadas. O vestuário com tecido sintético é mais indicado para lugares com temperaturas mais frias. Para a região Nordeste, o recomendado e uso de roupa mais leve e feitas de algodão, que protegem mais da luz solar do que produtos sintéticos. Roupas escuras também a proteger a pele mais que as de cores claras. Chapéus e óculos escuros, com proteção ultravioleta, também são necessários.

Outros pontos importantes são a hidratação e a alimentação. A hidratação é necessária de forma frequente, durante todo o dia, principalmente para as crianças, já que, quanto mais hidratada a pele, maior a capacidade de resistir à exposição do sol. Já na alimentação é necessário que a dieta seja equilibrada e restrita em relação ao carboidrato, como trigo, aveia e centeio. O indicado é o uso de grãos integrais e alimentos adequados para o clima dos pernambucanos, como a macaxeira, o inhame e as frutas.

Os riscos da exposição solar sem cuidados durante a vida vão de envelhecimento precoce até o câncer de pele. “O sol envelhece a pele muito mais do que a idade. Pessoas que sempre se protegeram da exposição solar direta aparentam uma idade menor, quando comparadas com as que não tiveram o mesmo cuidado durante a vida. Em relação ao câncer de pele, quanto maior a exposição em uma pessoa que geneticamente já tenha uma predisposição, maior a hipótese de ser atingida pela doença”, finalizou o dermatologista do Hospital Jayme da Fonte.