Hospital Jayme da Fonte

Central telefônica (81) 3416-0000 / 3125-8810 Marcação de Consultas & Exames (81) 3416-0075
(seg. à sex, das 07h às 19h e sáb. das 08h às 14h)
Chegamos aos
1026
transplantes de
fígado
Data publicação: 03/01/22 | Fonte: Folha de Pernambuco | Vida Plena

Evite riscos ao comer na rua

Como o período de férias, tudo sai da rotina. Saiba quais alimentos são mais seguros e o que deve ser observado.

Janeiro é tempo de férias, e essa época costuma bagunçar um pouco a rotina, principalmente a da alimentação. É comum que as pessoas acordem mais tarde e percam o horário das refeições, pulando uma ou outra, ou mesmo que comam na rua, em restaurantes, barraquinhas e ambulantes. Por isso, é fundamental tomar alguns cuidados.

A clínica geral e geriatra do Hospital Jayme da Fonte Andréa Figuerêdo explica que pular uma refeição não é um problema, desde que isso não ocorra com frequência. “para jovens sem comorbidades, pular café da manhã e já partir para o almoço não causa grandes prejuízos. O máximo que pode acontecer é sentir um mal-estar e uma dor de cabeça, mas que são resolvidas com facilidade”, conta.

Mas a médica explica que pessoas com comorbidades, como diabetes, e 0os mais idosos devem evitar pular as refeições. “O corpo dessas pessoas é habituado com uma rotina e qualquer alteração pode impactar no funcionamento do organismo, influenciando nas taxas. Nesses casos, é ideal cumprir com todas as refeições”, frisou Andréa.

Comendo na Rua

Com viagens e passeios durante a temporada de descanso, muitas pessoas também fazem grande parte das refeições nas ruas. Seja em restaurantes ou em barraquinhas, a higiene deve ser sempre um ponto a ser observado. “É muito importante que as pessoas tomem cuidado com a limpeza do local e de quem prepara e serve a comida. Se for em um restaurante, é ideal escolher um de confiança. Já se for em uma barraquinhas, é preferível evitar aquelas que estão próximos a esgoto ou lixos”, indica Figuerêdo. Um outro detalhe, é a limpeza das unhas de quem prepara, além da utilização de luvas e toucas.

Mas não baste escolher apenas o local. Os alimentos também devem ser observados atentamente. “No verão, os alimentos devem receber um armazenamento diferente. Por ser mais quente, as comidas costumam estragar mais rápido”, explica a clínica Geral.

Sintomas de Intoxicação

Para minimizar as chances de sofrer com alguma intoxicação alimentar, o ideal é que as pessoas evitem comidas com molho, como maionese, e frituras. Caso ocorra algum problema intestinal, a médica indica repouso, hidratação e o consumo de refeições mais leves. “normalmente os sintomas são dor na barriga, diarreia, mal-estar e vômitos. Eles costumam passar no mesmo dia, sem que haja a necessidade de medicação fortes”, complementa a médica. No entanto, se os sintomas persistirem, o paciente deve buscar um atendimento de emergência.