Hospital Jayme da Fonte

Central telefônica (81) 3416-0000 / 3125-8810 Marcação de Consultas & Exames (81) 3416-0075
(seg. à sex, das 07h às 19h e sáb. das 08h às 14h)
Chegamos aos
1014
transplantes de
fígado
Data publicação: 23/06/19 | Fonte: Jornal do Commercio | Casa Saudável

O guia da saúde no São João

Nesta noite de véspera de São João, bandeirinhas, bandeirolas, fogueiras e fogos de artifício mantêm viva a tradição do ciclo junino, que culmina com as fogueiras acesas em homenagem ao nascimento de João Batista. Enquanto alguns celebram aos passos de quadrilha e arrasta-pé, outros não se permitem aproveitar a temporada porque encontram um inimigo: a fumaça, que pode ser um problemão para quem tem problemas respiratórios alérgicos e asma. O alergologista Angelo Riso, da Unimed Recife, destaca que, nesta época, as emergências ficam lotadas de pessoas com asma e bronquite. Entre os sinais comuns, estão falta de ar e tosse. “Deve-se evitar locais onde as pessoas soltam fogos e que tenham muitas fogueiras.” Se a inalação acontecer e gerar mal-estar, Angelo Riso recomenda ir a um pronto-socorro. “Algumas pessoas com propensão a ter falta de ar já possuem instruções médicas personalizadas para agir quando isso acontecer. Mas, caso a exacerbação na respiração seja muito intensa, o ideal é procurar uma emergência”, alerta. Um detalhe importante é que, até pessoas que nunca tiveram problemas, podem apresentar incômodos associados à inalação da fumaça das fogueira e fogos. “É preciso ficar atento a sinais de cansaço no caso de asmáticos, como também a quadros de coriza, espirros contínuos, coceira no nariz e nos olhos para quem tem alergia”, explica o pneumologista do Hospital Jayme da Fonte, Guilherme Costa. Para pessoas nessa situação, reforça o médico, o mais indicado é o se afastar dos focos de fumaça. “Vale a pena manter janelas e portas fechadas e manter o chão da casa sempre limpo”, orienta Guilherme Costa. Outra dica é usar toalhas molhadas para evitar entrada de fumaça pelas frestas da casa.