Hospital Jayme da Fonte

Central telefônica (81) 3416-0000 / 3125-8810 Marcação de Consultas & Exames (81) 3416-0075
(seg. à sex, das 07h às 19h e sáb. das 08h às 14h)
Chegamos aos
1014
transplantes de
fígado
Data publicação: 01/10/19 | Fonte: Folha de Pernambuco | Cotidiano

O novo perfil dos idosos no Brasil

Em sete décadas, a média de vida dos brasileiros passou 45,4 anos em 1940, para 75,4 anos, em 2015.

O dia 1º de Outubro é reservado ás comemorações do Dia Internacional do Idoso. No Brasil, a criação de estatuto do idoso, em 2013, garantiu direitos, proteção, liberdade e respeito. E de lá pra cá, o perfil das pessoas nesta faixa de idade passou a ser mais ativo e saudável, devido á preocupação com saúde desde cedo e o envelhecimento bem-sucedido.

“O estigma de que o idoso perde a sua independência e de que não é capaz de emitir opiniões ou tomar decisões faz parte do passado”, comenta a geriatra do Hospital Jayme da Fonte Andrea Figueiredo. De acordo com o Ministério da Saúde, os idosos representam 14,3% dos brasileiros, ou seja, 29,3% milhões de pessoas. E, em 2030, o número deve superar o de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. Em sete décadas, a média de vida dos brasileiros aumentou 30 anos, de 45,4 anos, em 1940, para 75,4 anos, em 2015.

Um dos motivos é a preocupação com a alimentação e também com o físico. Praticar exercícios com acompanhamento profissional é uma ótima maneira de manter o corpo ativo, além de prevenir doenças. De acordo com as pesquisas do Ministério da Saúde, 25,1% dos idosos têm diabetes, 18,7% são obesos, 51,7 têm hipertensão e 66,8% têm excesso de peso. Também são responsáveis por mais de 70% das mortes do País. “É importante manter hábitos saudáveis desde cedo. Tem que comer bem e fazer atividades físicas antes mesmo dos 60 anos”, explica Andrea.

O pilates e exercícios de musculação podem ser alternativas de fortalecimento do corpo, desde que sejam orientados por um profissional. “Eu tive sérios problemas na coluna e o exercício me ajudou”, explica a professora Elisabete Soares, de 62 anos, que faz academia desde 2007 e participa de um grupo de corridas ao lado de seu marido, Fernando Soares, de 64 anos.

Porém, não é só o corpo que merece cuidados. Manter uma vida ativa mentalmente é essencial. Fugindo das tradicionais “palavras cruzadas”, o fortalecimento das relações sociais é um dos caminhos para evitar o isolamento e estar mais distante de doenças como a depressão e demência. “É muito importante exercitar a mente”, comenta Fernando.