Hospital Jayme da Fonte

Central telefônica (81) 3416-0000 / 3125-8810 Marcação de Consultas & Exames (81) 3416-0075
Chegamos aos
954
transplantes de
fígado
Data publicação: 15/06/18 | Fonte: Diario de Pernambuco | Local

Mil motivos para festejar o gesto de salvar vidas

Hospital Jayme da Fonte atinge a marca de mil transplantes de fígado pelo Sistema Único de Saúde

A marca de mil transplantes de fígado realizados no Hospital Jayme da Fonte, através do Sistema Único de Saúde, foi comemorada ontem pela Associação Pernambucana de Apoio aos Doentes de Fígado, com a festa São João Solidário. O evento aconteceu no Arcádia Paço Alfândega e teve renda destinada à Casa de Acolhimento, entidade que abriga pacientes pernambucanos e de vários estados brasileiros que não têm recursos para custear o tratamento.

As cirurgias foram feitas pela equipe multidisciplinar liderada pelo professor e cirurgião Cláudio Lacerda. Ele informou que o número de intervenções em Pernambuco chega a 1.270. “Mas o foco está em um dado exato, pelo fato de se tratar de um estabelecimento particular credenciado para atender pessoas carentes, cuja dificuldade maior já começa com o diagnóstico da doença”, completou.

As intervenções são realizadas na Unidade de Transplante de Fígado, que atua nos Hospitais Jayme da Fonte, Imip e Oswaldo Cruz. Apesar dos números, o médico lamenta a falta recursos e de conscientização de pessoas que continuam dizendo não à doação. “Pesquisas dão conta de que 47% dos brasileiros se negam a disponibilizar os órgãos de um ente querido para salvar um ou vários necessitados. Em Pernambuco, o índice de rejeição à causa é de 57%, o que muito nos entristece”, contou. De acordo com o cirurgião, pelo menos 90 pacientes se encontram em filas de espera, fato que se agrava por causa da recusa familiar.

Otimista, Lacerda disse acreditar que a situação tende a mudar quando as pessoas entenderem que um dia também poderão precisar de um transplante. “Nosso serviço realiza 10 transplantes por mês e mais de 100 por ano. É importante citar que existem poucos hospitais no mundo com essa meta. Mesmo com todas as dificuldades, queremos chegar a 130 em 2018, o que vai nos credenciar como maior do mundo”, garantiu.

O São João Solidário contou com a participação dos artistas Cristina Amaral, André Macambira, Ed Carlos, Beto Hortis, Josildo Sá, Racine e Ravel, Nádia Maia, Rogério Rangel, o maestro Spok, e a Orquestra Zé Mário Drums.